Antique Silver Black Nickel + Antique Silver
Antique Gold

A ideia para a geocoin das gravuras rupestres de Foz Côa começou a germinar no início de 2008, tendo a semente sido lançada pelo timearth, num tópico do fórum geocaching@PT intitulado “geocoin com gravura rupestre de foz coa ????vejam se gostam“.

Será curioso observar um dos desenhos inicialmente apresentados pelo timearth, que serviu mais tarde de inspiração para o desenho final.

Gravuras Rupestres

Sobre o processo de produção deverá ser dito que após a fase de lançamento da ideia, que se estendeu até ao início de 2009, seguiu-se uma fase de encomendas preliminar (recolhendo 20 interessados) que durou cerca de 3 meses, culminando na fase final que durou enquanto a geocoin era produzida, até Julho de 2009. Inicialmente apenas duas versões estavam previstas, mas acabaram por ser produzidas 3 versões. Parte das geocoins, das versões RE e LE, foram vendidas diretamente pela loja que as produziu, a Landsharkz. As restantes vieram para Portugal e foram vendidas pela GeocacherZone, que deteve o exclusivo da venda da versão XLE (Antique Gold).

Sobre a geocoin e o que ela representa, fica um pequeno texto de apresentação que foi usado pela Landsharkz, que em poucas linhas diz quase tudo:

This exceptional concentration of rock carvings from the Upper Palaeolithic (22,000–10,000 B.C.) is the most outstanding example of early human artistic activity in this form anywhere in the world.” Unesco World Heritage Centre. We were pretty darned excited when our client in Portugal asked Chris to lend his creative talents to creating this geocoin as a tribute to the Coa Valley prehistoric rock art. This coin weighs 90 grams (3.1oz), is 55mm x 50mm x 4.0mm and is available for public sale in two versions – antique silver and two tone black nickel/polished nickel. The special effects and workmanship on the front are protected by an epoxy finish.

Mas mais importante que tudo será deixar aqui o testemunho do timearth, onde explica o que o motivou a impulsionar a ideia, e onde nos descreve o que pensa sobre a geocoin e os significados que esta encerra:

Um dia quando visitei as gravuras e ainda nem sequer sabia da existência do Geocaching fiquei maravilhado com o local. Estava ali na pedra um log quase eterno. O que fez com que aqueles seres humanos tivessem deixado na pedra aquele registo? O que viram eles? O que sentiram eles? Que rotas (dos tuneis) terão feito eles? Que procuravam?

Pois, são estas as perguntas eternamente sem respostas que todos os dias fazemos acerca da espécie a que pertencemos. Teremos nós (geocachers) os genes desses homens que habitaram o Vale do Côa? Sim, tenho a certeza que sim. Gostamos também nós de viajar pelos vales deste mundo e deixar também nós o registo da nossa passagem. Se pudéssemos, em que tipo de rocha gostaríamos de escrever os nossos logs? Titânio, ouro, madeira, rocha… Quando deixamos o nosso nick naquelas simples folha dos logbooks das caches, não queremos nós que ele se mantenha eterno? Acho que sim!

Quando pensei nesta geocoin pensei que os homens do Côa foram os primeiros geocachers da nossa espécie, não se guiavam por GPS nem PDA, mas seguiam as estrelas e a ânsia de ir mais além… para além do que não conheciam. Hoje, nós sabemos onde a estrada nos leva e acaba e onde estão todos os vales do mundo – eles não.

No entanto, agora as nossas fronteiras estão mais longe, nos confins do universo, e quando enviamos sondas para o espaço também as enviamos com o registo de onde pertencemos e que somos nós (o nosso nick). Acho que a geocoin talvez não tenha sido bem compreendida pela comunidade do geocaching portuguesa, mas a culpa é sem dúvida minha por não ter sabido divulgar o que ela poderia representar para nós Portugueses.

Seria talvez uma referência, um símbolo de um geocaching POÉTICO que penso existir. Talvez a nossa afirmação como os primeiros geocacheres do mundo e que continuámos com as descobertas. Os americanos libertaram o sinal de GPS em 2000 mas… sem GPS e apenas com umas bússolas e uns sextantes, aventurámo-nos e descobrimos tudo o que havia para descobrir no nosso pequeno grande mundo.

Talvez se vivesse em África fizesse uma geocoin com a pequena pegada dos nossos antepassados, mas como vivo aqui e como estes são os nossos registos, são estes que valorizo. Talvez seja uma geocoin demasiado pesada, mas é o peso da herança que temos como espécie. Talvez seja uma geocoin demasiado tosca (se calhar ainda devia ser mais), mas foi também assim que as gravuras foram feitas na rocha. Talvez esta coin devesse figurar no recente museu de Foz Côa,mas o que percebem os burocratas de “Geocaching Poético”? (mas isso é outra historia)

Pois é, os poetas aprendem a guiar-se pelas estrelas e foi isso que os nossos antepassados de Foz Côa fizeram.

Está é uma parte da minha visão sobre Foz Côa e a geocoin e nem sequer tenho lá raizes.

Geoabraço da familia Timearth

Que este testemunho sirva para que todos nós possamos compreender melhor a riqueza desta geocoin!

Ficha técnica Icon
Data: Julho 2009
Versões: Antique Silver (RE), Two-tone Antique Silver + Black Nickel (LE), Antique Gold (XLE)
Formato: Retangular
Tamanho: 5cm largura x 5,5cm altura x 4mm espessura
Quantidades: 175 (RE), 75 (LE), 60 (XLE)
Desenho: Chris (Landsharkz)
Produção: Plnauta + Landsharkz
Mentor: timearth
Código de activação: http://landsharkz.ca/sharkz/activate

Desenho
: Landsharkz